19 Novembro, 2018


F.C.Porto mais próximo da liderança

Aos 11 minutos, o FC Porto já tinha sentenciado a partida no Estádio do Dragão. Agora, no domingo, há um escaldante clássico na Luz.

O FC Porto venceu o Desportivo das Aves por 2-0, numa partida da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol em que os ‘dragões’ construíram a vantagem logo nos primeiros minutos.

Alex Telles, de grande penalidade, inaugurou o marcador aos oito minutos, tendo Otávio, aos 11, ampliado a vantagem, frisando uma etapa inicial de maior inspiração dos ‘azuis e brancos’, que, no segundo tempo, foram bem menos acutilantes.

Com este resultado, os ‘dragões’, seguem no segundo lugar do campeonato, somando agora com 73 pontos, menos um do que o líder Benfica, com quem jogam na próxima jornada, no Estádio da Luz, no ‘clássico’ que pode ser decisivo para o desfecho da competição.

Já o Aves, que somou a quarta derrota consecutiva, voltou a marcar passo na luta pela manutenção, mantendo, à condição, o 15.º lugar da classificação, com 25 pontos, apenas um acima em relação à zona de descida de divisão.

A intranquilidade que a equipa orientada por José Mota vive na tabela acabou espelhada numa entrada menos concentrada no desafio, cometendo dois erros que permitiram aos ‘dragões’ alicerçarem o triunfo em pouco mais de 10 minutos.

11 minutos e dois golos

Logo aos oito, Tissone, na área avense, pontapeou Ricardo, ao tentar acertar na bola, numa falta para grande penalidade, prontamente assinalada pelo árbitro Nuno Almeida, que Alex Telles, na cobrança, não desperdiçou.

Ao revés inicial, a turma de Vila de Aves acrescentou nova contrariedade, apenas três minutos depois, desta feita num alívio de Falcão que, caprichosamente, embateu no portista Otávio, fazendo a bola ressaltar para a baliza de Adriano Facchini, que, desprevenido, não conseguiu evitar o segundo dos locais.

Tolhido pelos contratempos, o Aves foi obrigado a mudar rapidamente a estratégia, e ter de se adiantar um pouco mais no terreno, abrindo, inevitavelmente, brechas no seu último reduto, que os comandados de Sérgio Conceição foram explorando.

Amilton ainda teve uma boa oportunidade para causar ‘estragos’, aos 19 minutos, numa arrancada que o deixou em boa posição, mas acabando desarmado por Marcano quando hesitou na altura do remate.

Alex Telles e Ricardo Pereira, os diabos dos corredores

Apesar deste atrevimento, era o FC Porto a causar mais problemas à defensiva visitante sempre que pressionava, mas, ora pela falta de pontaria, ora pelas intervenções do guardião contrário, os comandados de Sérgio Conceição não conseguiam dar mais expressão à vantagem, apesar das tentativas de Brahimi, Sérgio Oliveira e Ricardo, que, juntamente com o colega do outro lado do corredor, Alex Telles, foram os melhores em campo.

About The Author

A radio de musica portuguesa

Related posts